___________________________________________________________________________________________________

Atenção primária à saúde

O segundo dia do evento começou com um painel dedicado à troca de experiências. Fernando Henrique Silva Amorim, gestor de Integração do Percurso Assistencial da Unimed Belo Horizonte; Paulo Magno do Bem Filho, gestor médico de Atenção e Inovação em Saúde da Unimed Vitória; e Fernando da Silva Faraco, coordenador do Núcleo de Atenção Primária à Saúde da Unimed Guarulhos, compartilharam as vivências de suas cooperativas com a implementação do modelo de atenção primária à saúde.

Países como Inglaterra, Holanda, Alemanha e Austrália serviram como referência. Hoje elas colhem bons resultados, demonstrados na saúde financeira dos produtos, satisfação do beneficiário e alta qualidade dos serviços prestados.

"O modelo assistencial atual da saúde suplementar vem mostrando muitas deficiências ao longo dos anos. Precisamos repensar a forma de trabalhar, focando na sustentabilidade do Sistema Unimed e na manutenção das vidas que temos em carteira", afirmou Fernando Henrique Silva Amorim. "O modelo tradicional vende rede credenciada e é isso que muitas vezes estimula o beneficiário a usar o plano de forma equivocada. Com a atenção primária à saúde, oferecemos cuidado com o apoio de uma equipe personalizada, que acompanha o paciente de forma integral. É nessa mudança cultural que precisamos atuar", completou.


Nas três Unimeds, as unidades dedicadas para o atendimento desses esses beneficiários foram pensadas para serem acolhedoras e funcionais. “Contamos com horários diferenciados e estrutura personalizada, pois são os pequenos detalhes que fazem o paciente perceber que nosso produto é diferente e que todos os nossos esforços são voltados para atender as necessidades dele”, explicou Paulo Magno do Bem Filho. O médico também destacou a necessidade de mapear a carteira para cuidar da melhor forma. “Desde a implantação, conhecemos os riscos da saúde do beneficiário e oferecemos capacitação constante ao profissional que o atende. O médico tem que ter qualificações técnicas e humanas para gerar confiança de seu paciente”.

O trabalho realizado na Unimed Guarulhos também é baseado na personalização do atendimento. “A equipe inteira cuida do paciente, desde a recepcionista até o médico de referência, que conhece todo o seu histórico. Tudo isso faz com que ele se sinta em casa, gerando altos índices de satisfação”, contou Fernando da Silva Faraco.

Apesar de todos os diferenciais citados, o modelo tem um custo menor para o beneficiário, uma boa oportunidade de atingir grande parcela da população brasileira que hoje não pode arcar com os custos dos planos tradicionais. “Não dá para implementar esse modelo visando apenas a redução de custos. Se nós queremos nos tornar o melhor sistema de saúde, temos que ter os pacientes mais bem assistidos. Mas o custo cai como resultado dessa qualidade de atendimento, que entrega o cuidado adequado ao paciente”, enfatizou Faraco.

  

As apresentações com as informações completas da implantação do modelo de assistência primária nas Unimeds Belo Horizonte, Vitória e Guarulhos estão disponíveis no hot-site do evento.

VOLTAR